Nome original do viés: Hot stuff bias

Tradução: Carolina Oliveira Cruz Latorraca, Rafael Leite Pacheco, Enderson Miranda, Rachel Riera

Quando um assunto está popular (“na moda”) os pesquisadores podem ser menos críticos com seu próprio estudo, e pesquisadores e editores podem não resistir à tentação de publicar seus resultados.

 

Introdução

Áreas científicas populares que estão “na moda” podem induzir o efeito “propaganda de vagão”, sendo mais provável que os pesquisadores estejam dispostos a participar e que sua abordagem seja menos crítica. Eles irão, portanto, concentrar-se em tentar confirmar os achados dos outros ao invés de tentar rejeitá-los. Resultados negativos têm menos chance de serem publicados (ver viés de publicação). Nesses casos, o valor preditivo positivo se torna progressivamente menor com o acúmulo de mais estudos, fazendo com que seja menos provável que os achados publicados representem a verdade. Isso também pode ocorrer em parte por causa da regressão à média.

Além disso, a popularidade de um assunto pode afetar o quanto ele recebe de publicidade. O entusiasmo com um assunto em particular pode levar a publicação inapropriada de resultados de pesquisas (ou opiniões) cedo demais, em grande volume, com maior notoriedade ou com menos crítica do que seria se o caso tivesse um curso normal de eventos. Similarmente, assuntos considerados controversos podem receber maior publicidade de editores que querem chamar atenção para suas revistas científicas (mesmo que eles não percebam ou que possam depois negar que isso aconteceu) e por jornalistas buscando uma pauta atraente.

 

Exemplos

Assuntos controversos podem levar a debates acalorados sobre os méritos relativos de uma hipótese ou intervenção. Exemplos incluem os debates atuais sobre estatinas, o longo debate sobre a eficácia de antidepressivos como os inibidores da recaptação da serotonina (IRSSs), e debates mais antigos sobre o uso de terapias de reposição hormonal e a falsa ligação entre as vacinas e o autismo. Normalmente, a pergunta mais crítica (o balanço entre benefício e malefício) é negligenciada nesses debates.

 

Impacto

O impacto do viés “da moda” ainda não foi formalmente investigado e, surge a partir do conhecimento individual, de experiências e observações sobre como o ambiente de pesquisa e o comportamento humano interagem.

 

Passos para prevenção

Pesquisadores devem resistir aos efeitos sedutores da ciência “da moda”. Eles devem aderir a padrões rigorosos de relatos de estudos, publicar seus protocolos de pesquisa de forma prospectiva, e consequentemente afirmar em suas publicações quando e como desviaram do que foi planejado nos protocolos. A adesão ao protocolo do estudo ou à documentação posterior de todas as mudanças entre protocolo e publicação reduzem a probabilidade de que o viés “da moda” afete os resultados de uma pesquisa.

Os protocolos devem incluir, sempre que for relevante, guias para término antecipado do estudo e publicação dos resultados.

Os financiadores devem limitar a quantidade de auxílio que estão dispostos a dar para assuntos “da moda”, comparado com pesquisas importantes que não estão “na moda”.

Editores de revistas científicas devem se esforçar para manter a excelência nos processos de revisão e editoração, para garantir a publicação de pesquisas de alta qualidade. Eles devem considerar as implicações de publicações que existem simplesmente porque um assunto está “na moda” ou é controverso. Também é necessário garantir que os autores permaneçam fiéis aos padrões rigorosos de relatos de estudos, e rejeitar estudos que não tiveram seus protocolos publicados.

Link para o original: https://catalogofbias.org/biases/hot-stuff-bias/

 

Deve ser citado como: Catalogue of Bias Collaboration, Aronson JK, Bankhead C, Nunan D. Hot stuff bias.In: Catalogue Of Bias 2017. https://catalogofbias.org/biases/hot-stuff-bias/

 

Fontes

Ioannidis JP. Why most published research findings are false. PLoS Med. 2005 Aug; 2(8): e124. Sackett DL. Bias in analytic research. J Chron Dis 1979; 32: 51-63