Esta revisão sistemática está sendo atualizada pelo Núcleo de Avaliação de Tecnologias em Saúde do Hospital Sírio-Libanês em colaboração com a Oxford-Brazil EBM Alliance, Disciplina de Economia e Gestão em Saúde, Unifesp e  Unidade de Avaliação de Tecnologias em Saúde do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.
 
Nesta 9ª versão, as buscas não foram atualizadas, mas as análises e estimativas foram ajustadas desconsiderando os resultados de dois estudos incluídos na 8ª. versão e que foram ou estão sendo revisados quanto à integridade de seus dados [Mehra 2020, Yu 2020].
As buscas haviam sido conduzidas em 22 de maio de 2020 e identificaram 11 estudos clínicos (com risco de viés alto ou crítico) envolvendo 100.497 adultos hospitalizados e com diagnóstico de Covid-19.
 
 Os estudos possuem limitações metodológicas sérias, o que reduz de modo importante a confiança nos seguintes resultados:
 
(a) Foi identificado algum benefício da hidroxicloroquina na redução do tempo até a melhora da febre e da tosse, mas não na probabilidade de melhora clínica global.
(b) Não foi identificado benefício da hidroxicloroquina quanto à negativação da carga viral e à melhora do aspecto radiológico;
(c) A associação entre exposição à hidroxicloroquina e tempo de hospitalização foi divergente entre os estudos e as estimativas incluem tanto benefício importante quanto ausência de benefício.
(d) A associação entre exposição à hidroxicloroquina e os desfechos necessidade de ventilação mecânica e mortalidade foi divergente entre os estudos. As estimativas incluem tanto risco quanto benefício associado à hidroxicloroquina.
(e) Foi identificado maior risco de parada cardiorrespiratória, prolongamento do intervalo QT ou de qualquer alteração eletrocardiográfica associado com a exposição à hidroxicloroquina.
 

Os resultados dos ensaios clínicos em andamento poderão aumentar a confiança nestes achados.

 

 
 

Citar como: Pacheco RL, Pachito DV, Bagattini AM, Oliveira Jr HA, Riera R. Hidroxicloroquina e cloroquina para Covid-19. Revisão sistemática. Disponível em: https://oxfordbrazilebm.com/index.php/2020/04/19/rapid-review-hidroxicloroquina-covid19/.  Acessado em: [inserir dia, mês, ano]

 

.

Versão anterior 25/05/2020:

Versão anterior 25/04/2020:

Versão anterior 19/04/2020:

Versão anterior 10/04/2020:

Versão anterior 03/04/2020:

Versão anterior 27/03/2020:

Versão anterior 20/03/2020:


Sobre os autores:

Rachel Riera é professora de Medicina Baseada em Evidências na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Ela está envolvida com o ensino da MBE nos últimos 18 anos e é co-fundadora da Oxford-Brazil EBM Alliance. Atualmente coordena o Núcleo de Avaliação de Tecnologias em Saúde do Hospital Sírio-Libanês, São Paulo. Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/0591884301805680

Rafael Leite Pacheco é professor do Centro Universitário São Camilo, e pesquisador da Disciplina de Economia e Gestão em Saúde da Universidade Federal de São Paulo e do Núcleo de Avaliação de Tecnologias em Saúde da SPDM. Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/5220382157272897